28/03/2024 às 10h41min - Atualizada em 30/03/2024 às 00h05min

Núcleo de Saúde da Fundação Lia Maria Aguiar promove ação para avaliar saúde renal em Campos do Jordão

Sob a gestão do Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês (IRSSL), centro de referência em diálise na região atendeu 569 pessoas, realizou 470 testes de creatinina e identificou 63 pessoas com disfunção renal

Redação
https://irssl.org.br/
Divulgação - IRSSL


Moradores de Campos do Jordão e cidades vizinhas participaram no último dia 14 de campanha dedicada ao diagnóstico e prevenção das doenças renais. A ação pública de saúde foi promovida pelo Núcleo de Saúde da Fundação Lia Maria Aguiar, sob a gestão do Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês (IRSSL), como parte da Campanha do Dia Mundial do Rim, lançada anualmente pela Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN).
 

Durante a ação realizada no Centro de Eventos André Franco Montoro, em Campos do Jordão, os participantes tiveram acesso à medição da pressão arterial, teste de glicemia e ao exame de creatinina, que avalia a função dos rins e detecta a insuficiência renal em fases precoces.  Dessa forma, é possível iniciar o tratamento mais cedo e evitar as complicações da doença.

 

Os participantes também receberam orientações médica e nutricional para a prevenção das  doenças renais e os cuidados que devem ser adotados pelos pacientes. Das 569 senhas distribuídas para atendimento, 470 pessoas realizaram o teste de creatinina, sendo que 63 apresentaram alteração na função renal e serão acompanhadas no Núcleo de Saúde da Fundação Lia Maria Aguiar.

 

Eduardo Paiva, nefrologista do Núcleo de Saúde da Fundação Lia Maria Aguiar, explica que "é fundamental compreender que as doenças renais podem se desenvolver de forma silenciosa, muitas vezes sem apresentar sintomas evidentes. Por isso, é muito importante manter uma vigilância constante sobre os cuidados com os rins, realizando testes regulares e adotando medidas preventivas de proteção à saúde renal." 

 

Já Adolfo Martin Silva, diretor médico do Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês, reforça que "é necessário promover constantemente a educação para prevenir doenças renais, reduzindo a incidência de complicações mais graves e melhorando a qualidade de vida dos pacientes". 

 

De acordo com a Sociedade Brasileira de Nefrologia, a crescente prevalência das doenças renais em todo o mundo representa um desafio significativo para a saúde pública global: com 3,1 milhões de pessoas atualmente afetadas por algum tipo de doença renal, a Doença Renal Crônica (DRC) ocupa a 7ª posição entre as principais causas de morte no mundo. Esse panorama é agravado mais ainda pela estimativa de que entre 5 e 11 milhões de vidas são perdidas anualmente devido a doenças renais, particularmente em regiões com recursos limitados, onde a disponibilidade de terapias de substituição renal é escassa, exacerbando a insuficiência renal aguda.

 

Apesar da gravidade, surpreendentemente, entre 80% e 95% dos pacientes não estão cientes do seu diagnóstico de DRC, o que indica uma necessidade urgente de melhorar os esforços de detecção precoce e acesso ao tratamento adequado.

"Em meio aos desafios de educação inadequada tanto para pacientes quanto para profissionais de saúde, escassez de recursos e acesso limitado a medicamentos, é vital adotar abordagens abrangentes e centradas no paciente. Por isso, estratégias como esta campanha não apenas visam aprimorar os desfechos clínicos, mas também educam as pessoas com conteúdos de qualidade para a melhor gestão de sua saúde", Adolfo Martin, do IRSSL

 

Prevenir ainda é a melhor solução

Para cuidar da saúde dos seus rins, algumas práticas simples podem fazer toda a diferença. Primeiramente, mantenha-se hidratado ao longo do dia, garantindo um consumo regular de água. Além disso, uma alimentação equilibrada é fundamental: priorize frutas, vegetais e alimentos ricos em fibras, enquanto limita o consumo de sal, açúcar e produtos processados.

 

Manter um peso saudável é igualmente importante, o que pode ocorrer por meio de uma dieta balanceada e exercícios físicos regulares.  "Também evite o uso excessivo de medicamentos sem prescrição médica, especialmente anti-inflamatórios, e monitore regularmente sua pressão arterial", diz Eduardo Paiva, nefrologista do Núcleo de Saúde da Fundação Lia Maria Aguiar. 

 

Fora isso, se for diagnosticado com diabetes, é essencial controlar a doença adequadamente. E não se esqueça de realizar exames médicos periódicos e consultar um profissional de saúde ao detectar sintomas suspeitos relacionados à saúde renal. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://canalcomq.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp