04/01/2024 às 16h22min - Atualizada em 10/01/2024 às 22h15min

Novorizontino reestrutura iluminação do estádio em parceria com a Novvalight

Inauguração do novo sistema será em janeiro, durante o Campeonato Paulista

Cesar Augusto Sampaio
novvalight.com.br
Lucas Valeo/Divulgação Novorizontino


O estádio Jorge Ismael de Biasi, do Grêmio Novorizontino ganhou um novo sistema de iluminação, que deverá ser inaugurado em janeiro de 2024, durante o Paulistão Sicredi. A Novvalight, fabricante brasileira de luminárias industriais, é a responsável pelo projeto que envolveu retrofit da iluminação, revitalização de painéis elétricos, análise estrutural das torres, instalação e focalização dos projetores e emissão de laudos técnicos.  

Para o diretor-presidente do Grêmio Novorizontino SAF, o projeto de iluminação reforça o processo de modernização e profissionalização do clube. “O Novorizontino, sempre pensando o futebol como um todo e preocupado em melhorar a prática do esporte, neste momento conclui a sua obra de iluminação do seu estádio. Iluminação que foi adequada aos padrões da CBF e da Federação Paulista de Futebol, atendendo aquilo que pede o regulamento. Desta forma, o Novorizontino dá mais um importante passo na sua caminhada, que sempre visa o melhor para o futebol. Entendemos que o futebol só tem o seu espaço quando se caminha junto a parte interna e externa de dentro dos gramados”, disse Genilson da Rocha Santos.  

Sustentabilidade - Com as mudanças, saem as lâmpadas de vapor metálico e o sistema de iluminação passa a utilizar lâmpadas de LED. “O ganho em sustentabilidade é bem relevante. As lâmpadas de vapor metálico carregam muitas substâncias químicas pesadas, altamente prejudiciais ao meio ambiente e à população em geral. Por exemplo, gases que ficam no interior do tubo de vidro contaminam o solo num processo de descarte. Já as lâmpadas LED, não possuem metais pesados em sua composição”, explica o engenheiro da Novvalight, Filippo Centemero.  

Dados de comparação entre lâmpadas de vapor metálico e lâmpadas de LED 

Acendimento   
As lâmpadas metálicas necessitam de reatores para sua ignição e funcionamento, levando até 15 minutos para o reacendimento completo. As lâmpadas de LED são resistentes às vibrações e não possuem problemas de queima ou falha de filamentos, pois contam com um chip para serem acionadas. 

Aproveitamento luminoso   
A lâmpada metálica desperdiça luz, já que irradia luz em 360º. Esse mecanismo leva a uma invasão de luz em áreas que não precisam ser iluminadas. Já a lâmpada de LED usa luz direcional, focando mais e evitando o desperdício luminoso ou uma possível poluição visual.  

Consumo
A lâmpada de LED oferece a mesma quantidade de luz, ou até mais, consumindo até 75% menos energia que as lâmpadas de vapor metálico.  

Manutenção
As lâmpadas de LED têm uma duração quatro vezes maior que as lâmpadas metálicas. Dessa forma, diminuem consideravelmente a necessidade de manutenção e os custos envolvidos. 

Calor
A lâmpada metálica emite calor, podendo deixar o ambiente fechado desconfortável. A lâmpada de LED não emite calor. Por isso, proporciona um ambiente mais confortável em espaços como fábricas, indústrias, estádios e quadras esportivas.  

Economia
O novo sistema de iluminação deve gerar cerca de 35% de economia de energia em relação ao projeto anterior, utilizado até final do Campeonato Brasileiro de 2023. “Antes, o sistema registrava um consumo maior, por conta de uma eficiência luminosa (lm/W) inferior em relação a solução LED integrada. Além disso, existiam outros pontos negativos, como baixa vida útil de vários componentes, alta necessidade de manutenção, elevada perda ótica e de Índices de Reprodução de Cores (IRC) e espectrometria relativamente menores”, afirma o engenheiro da Novvalight.  

O sistema utilizado anteriormente apresentava iluminância em desacordo com requisitos mínimos solicitados para os jogos televisionados do clube, como baixa uniformidade, que gera manchas na iluminação do campo e pode acarretar no agravamento do ofuscamento, além de impactar na visão dos jogadores e espectadores.  

O novo sistema gera ainda uma redução da potência instalada e facilidade em manutenção das peças e aferição de resultados. “Nossa solução atende os níveis de iluminância indicados por entidades como a CONMEBOL, CBF e FIFA. Também tivemos a preocupação de não gerar grande impacto estrutural nas torres existentes. Trabalhamos com projetores com LED cerâmico em placa integrada e óticas mescladas de 10º a 31º para não aumentarmos a carga da infraestrutura e através de um apontamento preciso, atingirmos níveis elevados de uniformidade”, destaca Centemero.
  

ANTES E DEPOIS  

Sistema anterior  

- 16 projetores com lâmpadas 2.000W de vapor metálico por torre 

- Potência total por torre: 32.000 W 

- 64 projetores lamp. 2.000W total 

- Potência total: 128.000W 

- Potência específica: 17,92 W/m2 

Novo sistema 

- 20 EVERLED G3 ECO e PRO, de 1006W a 1.080W por torre 

- 80 unidades total/obra 

- Potência específica 11.73 W/m2 

- Potência específica Iluminotécnica 1.49 W/(m2 * 100lx) 

- Eficiência energética 67.14 (m2*lx)/W 

- Potência total utilizada 83.764 W 

- Potência total por torre (4): 20.941 W 

 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://canalcomq.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp