16/01/2024 às 10h31min - Atualizada em 16/01/2024 às 20h00min

Exposição que reforça atuação de ONGs na Capital paulista vai até 21 de janeiro no Museu das Favelas

Com realização do Atados, iniciativa mostra foi criada com a participação de fotógrafos periféricos de São Paulo

PinePR
Milena Emilião/Divulgação


Destacar a atuação de quem faz acontecer nas zonas leste e norte de São Paulo por meio das lentes de fotógrafos periféricos. Esse é o objetivo da exposição “Retratos & histórias de cooperação & voluntariado”, do Comunicadores, organizada pelo Atados, plataforma de voluntariado que conecta ONGs, voluntários e empresas a causas sociais. A mostra, que é gratuita, está aberta para visitação até 21 de janeiro no Museu das Favelas, instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, no Palácio de Campos Elíseos, edifício tombado e localizado na região central da cidade de São Paulo.

A mostra, que visa retratar o cotidiano do terceiro setor nos extremos da Capital paulista, pode ser visitada de terça a domingo, das 9h às 17h. A exposição está em sua primeira edição, mas já teve mostra no Centro Cultural da Juventude, na zona norte, em setembro, e na Fábrica de Cultura da Cidade Tiradentes, na zona leste, em outubro. “Tem muita gente dedicada a construir uma sociedade menos desigual e mais participativa nas periferias da cidade. Por isso, para ampliar o alcance desses trabalhos, decidimos convidar artistas periféricos para fotografar e registrar esse cotidiano que por vezes passa despercebido. Prestigiar esse tipo de arte e incentivar os artistas é fundamental para disseminar cultura”, afirma Daniel Morais, CEO e fundador do Atados.

Os fotógrafos Ira Romão, Juh na Várzea, Ketilyn Bells, PJ AFROP, Rafael Felix, Regicida, Rodrigo Espíndola, Robin, Sheyla Melo, Zaim, e o grafiteiro Rodrigo, retratam 10 instituições que atuam em diferentes causas sociais. São elas: a Casa de Apoio Vida Divina, que luta contra doenças graves, sobretudo em crianças; o projeto Ponto e Vírgula, entidade que surgiu com o propósito de ajudar famílias em situação de vulnerabilidade social; o projeto Beija Flores Solidários, reconhecido por distribuir marmitas na zona leste de São Paulo; a Associação Mão no Arado, ONG que contribui para a reintegração de pessoas ao mercado de trabalho, oferecendo oportunidades de capacitação profissional, e o Ponto de Cultura Tia Gê, que atua com projetos educacionais e culturais junto ao bloco de carnaval da ONG.

Além destas, outras instituições como o Instituto Grande Vitória Capadócia, Associação PiPA, Instituto Missão em Ação Social, Instituto Ações Sociais Vó Tutu, Instituto Vid’Art, também ganham espaço na exposição. “Por meio do olhar artístico de artistas periféricos, essas exposições retratam organizações sociais e líderes comunitários e sua atuação em regiões de vulnerabilidade social da cidade de São Paulo. O projeto tem como objetivo ampliar o olhar do público e trazer visibilidade à importância desses agentes locais e conta a curadoria de Léu Britto”, pontua Morais.

A exposição é viabilizada pela Lei ProMac e conta com o patrocínio da SYN por meio do IPTU do Shopping Cidade São Paulo. O investimento é administrado pelo Instituto SYN, que promove o acompanhamento de todo o projeto e o impacto positivo gerado. A realização é do Atados e da Prefeitura de São Paulo.


Serviço

O que: Exposição Retratos & histórias de cooperação & voluntariado

Quando: 02/12/2023 a 21/01/2024

Onde: Museu das Favelas (Av. Rio Branco, 1269 - Centro de São Paulo)

Horário: Visitação gratuita, de terça a domingo das 9h às 17h


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://canalcomq.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp