18/01/2024 às 11h44min - Atualizada em 19/01/2024 às 00h01min

Chama atenção o grande aumento de processos por erro médico

Doutor Rodrigo Credidio fala sobre o erros médicos

Michelle Pandora
Pan Assessoria


Médico renomado e reonhecido internacionalmente com mais de 10 anos de carreira, jovem e com vasto conhecimento no tema,  o cirurgião plástico dá sua opnião sobre os ultimos assuntos abordados perante a mídia daquilo que lhe cabe, e faz alguns alertas para quem quer realizar seu tão sonhado procedimento.
 
Em meados de 2020, devido a pandemia, houve uma necessidade de informatizar a medicina. Com o objetivo de manter distância muitos médicos optaram pelo mundo virtual e assim abriu margem para um grande investimento nas mídias sociais.
Antigamente quando um cirurgião plástico se formava, era necessário que houvesse grande dedicação e produção de bons resultados, a procura pelo bom trabalho se dava por meio de indicação de outros trabalhos realizados. Porém devido as facilidades de produzir material sensacionalista nas mídias sociais, o perfil da cirurgia plástica mudou. Atualmente o cirurgião se forma e não pretende fazer carreira, ele simplesmente realiza a contratação de uma boa equipe de marketing que a promessa é através de material sedutor e apelativo, atraente aos olhos dos leigos.
As empresas de marketing se especializaram de tal forma que através de sequências de imagens, músicas, cores e textos decorados fizeram com que profissionais ruins ou medianos sejam confundidos com bons profissionais.
Inclusive é possível que o cirurgião faça cursos de gestão para médicos para cobrar mais, não por qualidade ou mérito, mas sim por um bom marketing e engajamento nas redes sociais. Portanto é uma situação grave para a população, que perdeu completamente o discernimento de quem é um bom médico e quem é marqueteiro enganador das redes sociais.
Um cliente/paciente que cai em uma cilada de contratar serviços médicos por um preço excessivo e recebe um resultado ruim, fica extremamente revoltado e acaba acionando um advogado.
Assim se inicia a segunda fase dos problemas que é a judicialização. Muitos advogados acionam o médico por “erro médico” sem que tenha havido de fato um erro e sim por “mero inconformismo” e o cliente/paciente insatisfeito ao perder o processo, ainda precisa arcar com os custos processuais.
O avanço da medicina caminha ao lado de protocolos a serem seguidos e fiscalização de instituições como CRM, CFM, SBCP, Vigilância Sanitária, Anvisa etc. Então não faz sentido que os médicos estejam cometendo mais erros, o que faz sentido é a grande falta de informação.
Chama a atenção o grande aumento de processos por erro médico, sem ter ocorrido de fato um erro. Estamos vivendo um momento em que as pessoas, em geral são imediatistas, intolerantes, exigentes, fúteis e as vezes agressivas.
Muitos pacientes reclamam das próprias características físicas que não são modificadas com a cirurgia, como por exemplo, gordura visceral (depende do emagrecimento do indivíduo) , qualidade da cicatriz (depende da resposta de cada organismo) ou de flacidez de pele (devido ao efeito sanfona). Outra situação muito comum de queixas por parte do paciente é quando ocorre uma “intercorrência”, situações indesejadas que ocorrem por uma resposta biológica do organismo do paciente, na qual não foi gerado por falha ou incompetência do médico. Diante dessa situação o cliente insatisfeito alega “erro médico”.
O primeiro passo para evitar ou reduzir essa situação é a “informação”. Precisa-se ser divulgado de forma correta e com grande alcance as regras e peculiaridades que determinam quem tem razão mediante a determinadas situações.
A seguir dicas de como proceder em relação a uma cirurgia plástica:
✓ Nunca procure seu cirurgião em mídias sociais para não se apaixonar pela equipe de marketing ao invés do trabalho do médico.
✓ Peça indicações a amigas e familiares
✓ Faça pesquisas no CRM e SBCP, verifique também se seu cirurgião realmente possui o RQE que é o registro de especialidade médica.
✓ Desconfie das redes sociais sensacionalistas, médicos que gravam muitos vídeos diariamente não tem tempo para operar e delegam funções para estagiários.
✓ Não se iluda com fotos produzidas, com brilho (óleo) e fundo escuro pois disfarçam irregularidades.  
✓ Fique atento, nomes “difíceis” e técnicas inovadoras, normalmente são armadilhas de marketing.
✓ Caso não tenha gostado do resultado, volte ao seu médico e informe-se sobre a possibilidade de melhorar através de orientações ou até mesmo um refinamento.
✓ Leia atentamente os termos de consentimento para não acusar de erro casos de intercorrências previstas.
✓ Não omita do médico: patologias, doenças previas e/ou uso de drogas ou demais medicamentos.
E por fim se for necessário acionar um advogado, nunca procure alguém que não seja especialista em direitos médicos.
Se tudo for bem-informado, se elimina ou ao menos reduz p número de insatisfações e consequentemente problemas.
 
 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://canalcomq.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp