23/01/2024 às 17h05min - Atualizada em 25/01/2024 às 00h02min

O Dante explora a dualidade humana no álbum de estreia, “Filhos da Noite”

Trabalho caminha entre dia e noite com clipe conceitual “Afrodite”

Daniel Corrêa
Divulgação


O cantor e compositor O Dante mira o futuro sem deixar de olhar para trás em “Filhos da Noite”, seu primeiro disco de estúdio. O trabalho reflete sobre a dualidade da natureza humana, explorando a vida diurna e noturna. Suas canções questionam a necessidade de sustento e a constante busca por mais em um mundo em movimento ininterrupto. Em meio ao caos, O Dante mergulha nas mais humanas complexidades.

Ouça “Filhos da Noite”: https://linktr.ee/durante.dante 

Assista ao clipe “Afrodite”: https://youtu.be/iqswa1XaTIY 

Ao longo de suas canções, o álbum convida a questionar até que ponto podemos nos libertar e viver nossos sonhos. A dualidade da vida é um tema recorrente, levando os ouvintes a explorar se tudo precisa ser sempre entre pólos opostos.

“O disco conta a história em várias faixas, sobre o quão distintos somos de nossas inúmeras ‘personalidades’. Durante o dia, a necessidade do pão e força para realizar tarefas árduas, tendo que sempre conseguir mais e mais numa frenética roda no tempo que nunca para. Já durante a noite, quando ninguém mais nos observa ou quando a grande fábrica que se chama mundo adormece, o que fazemos? O quanto exacerbados e extravagantes podemos ser? Surge a vontade de chutar o balde e viver o sonho que parece impossível. Desfrutar de algo sem se preocupar… Será que tudo precisa ser sempre enxergado como 8 ou 80? Ou existe equilíbrio até nas coisas mais distintas?”, O Dante observa. 

Para dar forma às canções, o álbum “Filhos da Noite” contou com a identidade musical construída ao lado do produtor Modestto, transformando em sonoridade toda a personalidade e versatilidade do artista e um registro visual por Felipe Graber e Flora Uchoa para o single “Afrodite”, que sintetiza o projeto. O disco vem para solidificar uma carreira iniciada ainda aos 11 anos, quando Dante Le Campion Uchoa aprendeu a tocar guitarra na sua Maceió natal.

Vindo de uma família com uma forte ligação às artes, Dante encontrou sua paixão pela música desde cedo. Aos 15 anos, junto com amigos, formou sua primeira banda de garagem, dedicando-se a covers de rock. Sua jornada musical tomou um rumo profissional aos 19 anos, quando fundou a banda Latitude 09, que se apresentou por dois anos na capital alagoana e em eventos notáveis como o Flor do Cambará em São Miguel dos Milagres. Logo depois, Dante e sua irmã criaram a banda Noves Fora Nada. Em seguida, decidiu aprimorar suas habilidades musicais e ingressou no Conservatório Brasileiro de Música (CBM), onde estudou por quase três anos, aprofundando seu conhecimento e técnica.

Posteriomente, sua paixão pela música o levou ao Rio de Janeiro, onde participou do festival Sonido Trópico com a banda Durante Flora, demonstrando seu comprometimento com a cena musical independente. Em seguida, O Dante iniciou seu caminho como cantor e compositor. Nesse período, surgiram suas primeiras canções autorais, incluindo faixas como “Mundo Sóbrio” e “Camisa Longa”.

Por fim, Dante embarcou em um novo capítulo, iniciando o processo de criação de seu primeiro álbum solo. A faixa “Derrière”, lançada como single, introduz a estética do wavy trap, com adlibs e mudanças de voz, criando uma experiência única que mistura elementos do hip hop alternativo. A já citada “Afrodite” mergulha na história de um homem que se apaixona pela imagem de uma deusa, questionando a realidade dessa adoração diária.

“Cônicas” marca um momento de evolução para Dante, explorando o que ele chama de “materialismo sonoro” ao incorporar elementos latinos e batidas cadenciadas. “Melindrosa” apresenta uma narrativa não convencional, com trocas dinâmicas entre intérpretes, criando uma atmosfera única. “Alta Tensão” desafia a zona de conforto do artista, destacando-se como uma faixa curta, mas intensa, que reflete a influência contemporânea do TikTok.

“Vinte e Três” conta com colaboração com o renomado artista Dalua. A faixa-título, “Filhos da Noite”, explora o conceito do álbum, abordando as críticas enfrentadas por trabalhos noturnos e rejeitando padrões pré-definidos. A diversidade de estilos e temas culmina em “Ponto Final”, que incorpora a participação especial de Them Com, abordando temas como fé, trabalho árduo e equilíbrio na vida.

O questionamento sobre a necessidade de equilíbrio nas coisas mais distintas permeia as letras, explorando a utopia de viver intensamente sem se preocupar com julgamentos. “Filhos da Noite” convida os ouvintes a refletirem sobre as complexidades da existência, celebrando a diversidade de experiências que a vida tem a oferecer. O disco chega às principais plataformas de música.

Crédito: Carlos Davi

 

Ficha técnica:

Produção musical: Modestto

Design da capa: Billie Thekreator

Fotos: Carlos Davi

Clipes: Flipe Graber

Preparação vocal: Rodrigo Cardoso


 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://canalcomq.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp