29/01/2024 às 16h31min - Atualizada em 30/01/2024 às 00h02min

Com pedidos de cidadania italiana em alta, Lilian Ferro deixa 6 dicas para obter o passaporte

Em 2023, alguns consulados italianos no Brasil anunciaram um aumento expressivo na emissão dos documentos, gerando longas filas de espera

Elder Purgato Ibanhez
Épik Comunicação
Marinho


É de se imaginar que para a realização de um sonho, o nível de ansiedade é alto. Milhares de descendentes de italiano no Brasil seguem em busca dos caminhos rumo à conquista do reconhecimento da cidadania no país europeu. O fato, fez com que Lilian Ferro empreendesse para ajudar aqueles que possuem o direito.

É importante ressaltar que somente em 2023, alguns consulados italianos registraram um aumento bastante expressivo no número de processos para obtenção da cidadania. 

Em São Paulo, por exemplo, dados divulgados pelo Consulado Geral da Itália apontam um crescimento de 16% em comparação com 2022, somando mais de 33 mil passaportes emitidos. Já no Consulado Geral da Itália em Porto Alegre, ocorreu um aumento cinco vezes superior ao final do ano passado, com mais de 13 mil passaportes emitidos.

Esse aumento gera muita expectativa e, também, grandes filas de espera com milhões de brasileiros em busca de oportunidades no exterior. Segundo Lilian Ferro, para amenizar os desafios que surgem ao longo do caminho, diminuir o tempo de espera que pode levar até 15 anos, e provar que o processo não é inviável financeiramente como muito pensam, seis dicas são de extrema importância:

  1. Descendência italiana: Tenha em mãos o máximo de informações possíveis sobre a genealogia da família. Quanto mais informações existirem, mais fácil de identificar a legitimidade do direito de se tornar um cidadão italiano;
  2. Documentos legíveis: O ideal é começar pela reunião dos próprios documentos e, em seguida, buscar os pertencentes às gerações anteriores: pais, avós, bisavós, etc. Nessa fase, é importante que todos os registros estejam aptos para serem consultados e legíveis; 
  3. Verificação de impedimentos: Para que não haja perda de tempo, checar os requisitos para se tornar elegível a ser um cidadão italiano é essencial. Alguns pontos de atenção: verificar se o antepassado foi naturalizado brasileiro, se a transmissão é por via materna, se existem problemas de filiação, e se o território de nascimento do italiano foi anexado em alguma data específica à Itália;
  4. Análise, retificação e tradução: Toda a documentação precisa estar devidamente correta e sem erros que apontem inconsistências. Prestar atenção nesse detalhe diminui, e muito, o tempo de espera pelo reconhecimento da cidadania;
  5. Pedido do processo: A pasta documental pronta e reunida deve ser enviada por meio de um processo que pode ser através do consulado, de maneira administrativa, ou ainda, judicial. Nesse momento, é essa decisão que vai ditar o quanto a espera será longa ou não, por isso, errar pode ser um grande infortúnio;
  6. Escolher o caminho: Colocar na balança se vale a pena fazer tudo sozinho ou se é necessário contar com a ajuda de uma assessoria. Profissionais qualificados e empresas especializadas conhecem os atalhos e as opções mais viáveis para agilizar o processo, além de, atualmente, serem mais acessíveis com inúmeras opções de financiamento.

Ainda de acordo com a empresária, falar sobre cidadania italiana envolve muito mais do que saber sobre a descendência. “Sempre digo que ser descendente é apenas o início de uma batalha que deve ser encarada de maneira consciente, entendendo que sonhos podem ser alcançados sim, mas com escolhas corretas que nos levam ao sucesso”, conclui Lilian Ferro.

Sobre a Simonato Cidadania:

Fundada em 2016, com sede localizada em São Paulo, no famoso bairro da Liberdade, a Simonato Cidadania é a idealização do sonho de Lilian Ferro e sua sócia. Com o desejo de se tornar uma cidadã europeia, Lilian iniciou, também em meados de 2016, o processo para reconhecimento de sua cidadania italiana. Foi aí que os obstáculos se transformaram em oportunidades. Após um longo estudo de mercado e muita determinação, ela e Juliane arregaçaram as mangas e embarcaram no sonho de centenas de descendentes, utilizando das próprias experiências boas e ruins para ajudar outras pessoas. No começo da atuação da empresa, os trabalhos eram realizados apenas pelas duas. Em menos de dois anos, a empresa já contava com quatro funcionários e, durante a pandemia, entre 2020 e 2021, passaram para um quadro de 40 colaboradores, com um crescimento acelerado no faturamento de mais de 700%. Se não bastasse todos os diferenciais citados, a Simonato Cidadania ainda exerce uma função social muito importante. Como meta, ela prioriza a contratação de mulheres e da comunidade LGBTQIA+ para compor a equipe, sempre em busca de valorização e combate à discriminação que, querendo ou não, ainda permanece enraizada na sociedade como um todo. E é atuando no verdadeiro sentido da palavra confiança que a Simonato Cidadania vem tornando sonhos possíveis e aproximando milhares de brasileiros de um dos países mais importantes e queridos da Europa, a bela Itália.

Para saber mais sobre o trabalho de Lilian Ferro, da Simonato Cidadania, basta segui-la em suas redes sociais:

Instagram
YouTube
Facebook
www.simonatocidadania.com.br


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://canalcomq.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp