10/01/2024 às 10h37min - Atualizada em 10/01/2024 às 22h00min

Falta de recursos travam expansão de hospitais privados

Cenário foi indicado em levantamento de instituição do setor; especialista da Planisa lista ações que podem ser trabalhadas para a redução da dependência das operadoras de saúde

Igor Guedes
Foto: Divulgação


Um levantamento inédito feito pela Anahp (Associação Nacional dos Hospitais Privados) mostrou que sete em cada dez hospitais de ponta do país não conseguiram executar seus planos de investimentos em expansão (72,6%) e em novas contratações (70,6%) em 2023 por falta de recursos financeiros. Quase dois terços (63,5%) também não investiram na renovação de seus parques tecnológicos. A pesquisa foi realizada com 66 instituições associadas, na primeira semana de dezembro.

A estimativa é que R$ 3,6 bilhões deixaram de ser investidos no ano passado. A crise enfrentada pelo sistema de saúde suplementar, que tem provocado atrasos de pagamentos por parte dos planos de saúde, é um dos principais pontos atribuídos ao cenário. As operadoras, por sua vez, negam que tenham contribuído com a situação.

A redução da dependência dos hospitais brasileiros em relação às operadoras de saúde é um desafio complexo, mas existem algumas estratégias que podem ser consideradas para promover maior autonomia financeira e operacional, explica Marcelo Carnielo, especialista em gestão de custos hospitalares e diretor de Serviços da Planisa, empresa com expertise em serviços de consultoria para otimização da gestão de custos e que detém a maior base de dados de custos de hospitais do Brasil nessa questão.

“Atuar na prevenção, promoção e cuidados primários para reduzir demandas hospitalares, atuando em todo o ciclo do cuidado; explorar outras fontes de receita, como parcerias com farmácias, serviços de telemedicina, serviços laboratoriais, de imagem, entre outros; e especializar-se como centros de tratamento de doenças específicas, como forma de atrair nichos específicos, muitas vezes ignorados em hospitais gerais, são algumas das medidas que podem ser tomadas”, lista.

Desenvolver seus próprios planos de saúde por meio associações de hospitais, além de programas de captação de recursos filantrópicos junto à comunidade local e empresas são outras medidas destacadas.
Carnielo elenca outras ações que podem contribuir no gerenciamento dos hospitais:

- Desenvolver plataformas de informação que permitem diminuir as incertezas nas decisões para mudança de modelo de remuneração, com destaque ao capitation e bundle. “O bundle como forma de remuneração pela ampliação dos cuidados nos pós alta hospitalar (por exemplo)”, pontua Carnielo.
- Implementar práticas de gestão eficiente dos recursos para otimizar os custos operacionais.
- Utilizar tecnologias de informação para melhorar a eficiência nos processos hospitalares, diminuindo custos e agregando valor (menos e melhor).
- Oferecer programas de pagamento flexíveis diretamente aos pacientes.
- Implementar programas de fidelidade ou descontos para pacientes recorrentes.
- Estabelecer parcerias com empresas locais para oferecer serviços de saúde aos funcionários, por meio de convênios ou planos corporativos.
- Desenvolver programas de saúde ocupacional para empresas.
- Diversificação de produtos, atuando, por exemplo, na área da educação e capacitação.
- Investir em pesquisa e desenvolvimento para se tornar referência em tratamentos inovadores, inclusive em parcerias com laboratórios farmacêuticos.
- Integrar soluções de telemedicina para expandir o alcance dos serviços de saúde.
- Explorar parcerias com o setor público para oferecer serviços de saúde em conjunto, utilizando recursos e infraestrutura compartilhados.

“É importante destacar que a implementação dessas estratégias pode variar de acordo com a realidade de cada hospital e região. Além disso, uma abordagem integrada e colaborativa entre os diversos stakeholders do setor de saúde pode ser fundamental para o sucesso dessas iniciativas”, conclui.

Sobre a Planisa
Líder em gestão de resultados para organizações de saúde, a Planisa atua há 35 anos como parceira das organizações de saúde, hospitais, clínicas e serviços de diagnósticos de todo o Brasil, que buscam otimizar seus resultados financeiros.
Ao longo dos anos, se estabeleceu como referência em consultoria para o segmento da saúde e, em 2023, mais de R$ 29 bilhões foram apurados e geridos na plataforma desenvolvida pela Planisa, o KPIH – Key Performance Indicators for Health, com 358 clientes atendidos.
 
Assessoria de Imprensa - Predicado Comunicação

Fátima Costa – [email protected] (11) 9 9748-1732 WhatsApp
Vanessa de Oliveira - [email protected] (11) 9 7529-0140 WhatsApp
Carolina Fagnani - [email protected] (11) 9 9144.5585 WhatsApp
Igor Guedes- [email protected] (11) 9 9571-7400 WhatsApp
 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://canalcomq.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp